Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Página inicial > Notícias > CNPq e agência correspondente chilena firmam acordo de cooperação
Início do conteúdo da página

CNPq e agência correspondente chilena firmam acordo de cooperação

Publicado: Quarta, 23 de Dezembro de 2015, 15h01 | Última atualização em Quarta, 20 de Janeiro de 2016, 14h57

Documento para aprofundar a integração com a Conicyt no apoio à pesquisa foi firmado pelo presidente da agência brasileira, Hernan Chaimovich. Ele também recebeu título de doutor honoris causa da Universidade do Chile

O presidente do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq/MCTI), Hernan Chaimovich, assinou acordo de cooperação internacional com a Comissão Nacional de Pesquisa Científica e Tecnológica (Conicyt, na sigla em espanhol) do Chile. Da parte chilena, o signatário foi o diretor executivo da entidade, Christian Nicolai. Também em Santiago, o cientista recebeu o título de doutor honoris causa da Universidade do Chile (UChile).

O objetivo é promover intercâmbio, apoio a pesquisadores e especialistas em assuntos de interesse comum entre o Brasil e Chile, no âmbito de projetos conjuntos de investigação científica, tecnológica e inovação, desenvolvimento de pesquisas em forma conjunta e coordenada, organização de conferências, workshops, seminários e reuniões científicas, missões tecnológicas, elaboração de estudos, formação de grupos ou redes de cooperação, intercâmbio de informações, entre outras modalidades. Leia mais.

A cerimônia de entrega do título ocorreu no mesmo dia – segunda-feira (14). A distinção pelo mérito e por suas ações para o benefício da humanidade foi entregue pelo reitor da Universidade, Ennio Vivaldi Véjar, na presença de autoridades, familiares, acadêmicos e pesquisadores chilenos.

O presidente do CNPq nasceu naquele país e se naturalizou brasileiro na década de 80.

Em seu agradecimento, Chaimovich, que atua em pesquisa nas áreas de bioquímica, química e físico-química, disse que continuará "contribuindo para que o Brasil e Chile estreitem os laços institucionais, explorando o contínuo conhecimento por meio das interfaces das relações internacionais e da Política de Ciência, Tecnologia e Inovação".

O reitor destacou o trabalho político do homenageado na promoção da ciência relacionada com o desenvolvimento dos países da região. "Ele é um exemplo para as novas gerações, em um contexto em que no Chile vamos discutir e estabelecer as bases para o nosso desenvolvimento em ciência, tecnologia no ambiente da cultura e universidades. O professor Chaimovich tem sido um fator-chave no esforço para reconciliar a ciência brasileira nas fronteiras do conhecimento, com profundo sentido de responsabilidade para com os problemas cotidianos enfrentados neste país", disse Vivaldi, justificando a distinção ao também docente da Universidade de São Paulo (USP).

Na solenidade, o ganhador do Prêmio Nacional de Ciências Naturais de 1992, Jorge Allende, enfatizou o papel dos acadêmicos e do homenageado na promoção do desenvolvimento dos países latino-americanos. "Os cientistas que queremos e necessitamos na América Latina devem ser solidários e sair dos seus laboratórios para se dedicar se a construir uma cultura de excelência em nossas universidades, para lidar com os problemas dos países, formando cidadãos mais comprometidos com as pessoas", defendeu.

Viagens interfaciais

Durante a solenidade, o pesquisador e presidente do CNPq fez conferência sobre o tema "Viagens interfaciais: micelas, vesículas e política científica", em que apresentou a interação entre a sua biografia e suas pesquisas. Segundo Hernan Chaimovich, tanto sua vida quanto suas teses e experiências estão marcadas pelo sentido da dualidade existente nas relações Brasil e Chile, ensino e pesquisa, como também ciência e política. "Entendo que só a ciência, a tecnologia e a inovação serão capazes de desenvolver nossos países e vencer a pobreza", pontuou, ao acrescentar que o desenvolvimento da agricultura brasileira fez o país passar de importador a um dos maiores exportadores mundiais de alimentos.

Em relação à colaboração acadêmica entre os dois países, o presidente do CNPq ressaltou os esforços que fez, no intuito de fortalecê-la, ao longo de todo seu período no Brasil, particularmente enquanto professor da USP.

Fonte: CNPq / UChile / MCTI

Veja a notícia na íntegra: http://www.mcti.gov.br/noticia/-/asset_publisher/epbV0pr6eIS0/content/cnpq-e-agencia-correspondente-chilena-firmam-acordo-de-cooperacao;jsessionid=C3AA35AB452AE1B17341F3F7237F9E0D

Fim do conteúdo da página