Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Página inicial > Notícias > Ministro defende investimentos públicos em ciência e a recomposição do orçamento
Início do conteúdo da página

Ministro defende investimentos públicos em ciência e a recomposição do orçamento

Publicado: Terça, 20 de Junho de 2017, 16h09 | Última atualização em Quinta, 13 de Julho de 2017, 14h37

Gilberto Kassab participou das comemorações pelos 50 anos da Finep, no Rio de Janeiro. Na cerimônia, foram anunciados um edital para startups e uma linha de financiamento para compra de equipamentos de comunicação

 O ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Gilberto Kassab, defendeu nesta segunda-feira (19) a renovação da confiança e do apoio à Financiadora de Estudos e Projetos (Finep). Durante as comemorações pelos 50 anos da agência, no Museu do Amanhã, no Rio de Janeiro, Kassab reiterou a importância de destinar recursos públicos para ciência, tecnologia e inovação e lembrou que nenhum país do mundo conquistou o desenvolvimento sem investimentos em pesquisa.

"É hora de criarmos uma verdadeira onda de mobilização para que a Finep possa continuar contando com o apoio efetivo e especial do governo federal", disse o ministro.

Ele lembrou que o Brasil atravessa difícil conjuntura e alertou que há um longo caminho a ser percorrido para a recuperação do prestígio e da dimensão dos investimentos em pesquisa. "No ano passado, tivemos a felicidade de contar com a solidariedade da equipe econômica e da Presidência da República para que pudéssemos recompor parte do orçamento. Mas foi pelo passado. De nada adiantou em relação ao futuro. Porém, posso dizer a vocês, sempre estive à frente das lutas, não fugi de nenhuma delas."

Durante a cerimônia, a Finep lançou um edital para startups e uma linha de financiamento para aquisição de equipamentos de comunicação fabricados no país. Além disso, anunciou o seguro-garantia nas operações de crédito.

"Apesar da conjuntura difícil, a Financiadora apresenta uma série de iniciativas, principalmente projetos envolvendo recursos à disposição daqueles que estão prontos para inovar e para criar, agora com uma peculiaridade de pulverizar esses recursos de uma maneira mais direta e mais ampla", ressaltou Kassab.

O programa Finep Startup prevê um primeiro edital com aporte de R$ 50 milhões a 50 empresas – 25 por rodada de investimento. Nos quatro anos seguintes, a agência deve financiar R$ 100 milhões anuais. "Essa ação pensa o Brasil do futuro, dando apoio para que a gente possa ser um país que traga cada vez mais inovações e oportunidades de conviver com a modernização", comentou o ministro.

A iniciativa busca alavancar companhias que estejam em fase final de desenvolvimento de produto, para colocá-lo no mercado, ou que precisem ganhar escala de produção. A financiadora já apoiava empresas nascentes via fundos de investimento em participações (FIPs), dos quais participa como cotista, mas agora passa a investir diretamente nas startups.

A expectativa é que o apoio se concentre nas seguintes áreas: educação, cidades sustentáveis, fintech – junção de finanças com tecnologia –, Internet das Coisas, economia criativa, energia, defesa, mineração, petróleo, manufatura avançada, biotecnologia, tecnologia agrícola, química e Modelagem da Informação da Construção (BIM, na sigla em inglês).

Já o programa Telecom abre uma linha de financiamento exclusiva para empresas nacionais adquirirem equipamentos de telecomunicação totalmente fabricados no país. Segundo o ministro, a ideia "traz a oportunidade de modernizar e renovar a infraestrutura e, com isso, facilitar a vida dos empreendedores, em especial o pequeno e o micro". São previstos recursos da ordem de R$ 630 milhões, em valores reembolsáveis e disponibilizados via Fundo para o Desenvolvimento Tecnológico das Telecomunicações (Funttel).

O presidente da Finep, Marcos Cintra, lembrou que fabricantes internacionais de equipamentos de telecomunicações, como China e Estados Unidos, normalmente conseguem oferecer condições de negócio mais vantajosas para os compradores. "Com o Programa de Apoio à Aquisição Inovadora em Empresas de Telecomunicações, pretendemos reaquecer o mercado e estimular o desenvolvimento e a consolidação da cadeia nacional de fornecedores de equipamentos e de serviços de telecomunicações."

A terceira novidade é o fato de a Finep passar a aceitar o seguro-garantia nas operações de crédito, a partir de junho, como caução para financiamentos oferecidos pela agência. A modalidade é regulamentada pela Superintendência de Seguros Privados (Susep) e visa garantir determinadas obrigações a cargo do segurado, em favor de um beneficiário nomeado na apólice. Em comparação à fiança bancária, o seguro tende a ser uma alternativa de menor custo e que não exige reciprocidade bancária. Historicamente, um dos maiores problemas das empresas para conseguir financiamento está nas garantias.

Também no evento, foram lançados um selo e um carimbo comemorativos, produzidos pelos Correios, em celebração pela data. Houve homenagens a grandes nomes da comunidade acadêmica, científica e produtiva do Brasil com a entrega de placas por sua atuação em prol do desenvolvimento científico e tecnológico do país. O ministro e o presidente da Finep assinaram, ainda, convênios ligados a chamadas públicas de apoio institucional, de centros nacionais multiusuários e do fundo CT-Infra.

Fonte: MCTIC

Veja a notícia na íntegra: http://www.mcti.gov.br/noticia/-/asset_publisher/epbV0pr6eIS0/content/ministro-defende-investimentos-publicos-em-ciencia-e-a-recomposicao-do-orcamento

registrado em:
Assunto(s): Kassab , MCTIC , Finep , Startup , investimento
Fim do conteúdo da página